Radiografia: como funciona e quais doenças reumáticas podem identificar

A radiografia começou a ser utilizada na área médica no ano de 1895, logo que Wilhelm Conrad Roentgen descobriu o raio-x. Com uma ampola a vácuo, Roentgen acabou observando que havia raios capazes de atravessar vidros e papel, mas que não eram emitidos pela luz. E, ao radiografar a mão de sua esposa, identificou que esses raios também atravessavam o corpo humano.

Embora houvesse risco de o raio x ser taxado como bruxaria, a descoberta de Wilhelm Conrad Roentgen foi bem aceita pela comunidade científica e posta logo em prática para identificar problemas de saúde, especialmente nos ossos do corpo. O princípio básico da invenção permanece o mesmo que hoje é capaz de identificar inúmeras doenças, inclusive as reumáticas.

Como funciona a radiologia?

Uma descoberta ao acaso acabou se tornando uma das maiores revoluções da medicina. A radiografia é uma espécie de fotografia que revela o interior do corpo, ela chegou até a ser usada para fins artísticos, sem que se soubesse do risco da radiação.

A primeira produção de radiação electromagnética com ondas que correspondem ao que se conhece hoje como raio x aconteceu em 8 de novembro de 1895, dia registrado como a data oficial da radiação ionizada.

Para entender a descoberta, Roentgen colocou a mão da esposa num chassi com um filme fotográfico. Em seguida, incidiu uma radiação por 15 minutos, vinda de um tubo, para, depois, revelar o filme e confirmar a imagem dos ossos sobressaltados, enquanto o restante da região aparece menos realçada.

Quanto mais densa a área que recebe as radiações eletromagnéticas, mais atenuada é a imagem. Dessa forma, as partes moles ficam mais opacas nas imagens, as quais podem destacar os ossos, que são as partes mais duras do corpo.

Chamado de raio-x, rapidamente encantou os médicos e logo foi adotado como método de tratamento que possibilitava uma avaliação sobre o interior dos pacientes. Logo ganhou projeção mundial na pesquisa diagnóstica humana.

Apesar de não haver consenso histórico sobre as iniciativas científicas da radiologia no Brasil, o país é considerado em vanguarda, por ser um dos primeiros a importarem a técnica e a buscarem o desenvolvimento dela. Logo a tecnologia foi disseminada, e não só médicos das grandes cidades, mas também do interior, começaram a adquirir o equipamento e a se especializar na técnica.

Como apresenta imagem unidimensional, esse exame possui limitações numa análise mais detalhada sobre o diagnóstico da doença. Mas foi através do princípio dessa técnica que surgiram outras mais modernas e com imagens com até 4 dimensões.

A radiografia e o reumatismo

Esse exame pode identificar cada detalhe dos ossos do corpo, inclusive as fraturas e fissuras que possam existir, assim como anomalias ocasionadas por doenças e até tumores. O raio x pode indicar a idade do paciente a partir da análise do tamanho e da estrutura do osso avaliado.

Algumas doenças podem ser diagnosticadas com qualidade a partir da radiografia, como é o caso da osteoporose. Embora hoje existam outros exames mais precisos sobre o avanço dessa doença, com o raio x, o médico pode constatar perdas ósseas pela identificação das partes mais opacas. O recurso também é utilizado antes do procedimento cirúrgico para identificar onde devem ser feitos os implantes.

No caso de doenças reumatoides, o resultado do raio-x pode demonstrar formação do “bico de papagaio”, erosões presentes na gota. São as erosões também o ponto de identificação da artrite reumatoide, que pode estar em mãos e pés ou na região de queixa de dor pelo paciente.

Mesmo com a possibilidade de uso dos mais modernos tipos de equipamentos, o médico não dispensa a radiografia, especialmente para reumatismos. O resultado apresenta uma síntese do caso. As doenças reumáticas não são exclusivas de pessoas idosas e podem surgir em qualquer idade, sendo indispensável a realização desse exame quando há prescrição médica.

As inflamações crônicas ou agudas causadas pelo reumatismo podem afastar o paciente temporariamente das funções profissionais e pessoais. Podem se tornar incapacitante e prejudicar bastante a qualidade de vida da pessoa.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como reumatologista em Manaus!

Comentários
Avatar

Posted by Dr. Antonio Luiz Boechat