gota

Gota: diagnóstico e tratamento

O excesso de ácido úrico no sangue pode causar um tipo de artrite secundária denominada gota. A enfermidade, que ja foi chamada conhecida também como a Doença dos Reis, atinge cerca de 20% da população. Os homens são mais propensos a desenvolver a gota. Entre as mulheres, a doença é rara mas pode surgir após a menopausa.

Há dois tipos de gota: aguda e crônica. Na forma aguda, a gota afeta em geral uma articulação (mas nem sempre) e surge de forma súbita com forma de crises. A gota crônica tende a afetar uma ou várias articulações e tem uma evolução mais prolongada. Nos dois casos, a enfermidade causa dor e um grande incomodo ao paciente.

O ácido úrico é um resíduo da quebra de moléculas de DNA. Uma parte dessa substância fica no sangue e o excesso é excretado pelos rins. Quando a produção de ácido úrico é elevada e o sistema renal não consegue eliminar o excedente de forma eficaz, a substância é acumulada no organismo.

Todo esse processo leva à formação de urato de sódio e cristais de ácido úrico, que se acumulam em várias partes do corpo, principalmente nas articulações. Os pontos mais afetados são os dedos dos pés, tornozelo, calcanhar e joelhos. Um sinal bem típico da gota é a inflamação da articulação do dedão do pé – uma forma de artrite chamada podagra.

Fatores de risco da doença

• Historia Familiar;

• Hipertensão arterial;

• Diabetes;

• Colesterol alto;

• Acúmulo de gordura corporal;

• Arteriosclerose;

• Excesso de bebidas alcoólicas;

• Medicamentos diuréticos.

Sintomas da gota

A dor e inflamação articular são  os principais sintomas da gota. Pode durar 24 horas, na fase crítica. Algumas vezes há melhora nos dias seguintes, mas pode persistir por um longo período. As articulações inflamadas e doloridas tendem ficar inchadas e avermelhadas. Após o primeiro episódio de gota aguda, os sintomas desaparecem em mais da metade dos pacientes.

A gota crônica, quando não tratada adequadamente, pode levar a destruição de componentes das articulações com as cartilagens. Essa é uma das razões pelas quais a dor e a inflamação articular podem persistir de forma mais frequente na gota crônica.

Diagnóstico e tratamento da gota

Para diagnosticar a gota, o médico solicita os exames de sangue e urina, que mostram a taxa de ácido úrico. Entretanto, o melhor exame para diagnostico a gota é a pesquisa dos cristais de ácido úrico no liquido sinovial (articular) retirando-se uma amostra por punção articular. O liquido então é analisado através de microscopia. A radiografia das articulações afetadas complementa o diagnóstico.

Uma vez instalada, a gota não tem cura. O tratamento medicamentoso tem dois objetivos: 1) abolir a inflamação na gota aguda ou crônica, prevenindo o dano as articulações; 2) previnir as crises de gota. Para isso, é importante reduzir a concentração de ácido úrico no sangue.  O ácido úrico pode acumular-se na debaixo da pele, próximos a tendões e ligamentos na forma de tofos. A redução dos níveis sanguíneos de ácido úrico é a maneira mais eficiente de evitar a formação dos tofos.

Para quem já tem gota, é essencial mudar alguns hábitos alimentares. A dieta isenta de bebida alcoólica e baixo consumo de carne vermelha, miúdos de boi e porco e frutos do mar são algumas recomendações para evitar as crises.

Vale lembrar que a alimentação saudável e as atividades físicas são fundamentais para a saúde como um todo: previnem doenças e fortalecem a musculatura e as estruturas do esqueleto. Faça os exames de rotina anualmente e mude o estilo de vida para viver com saúde, sem dores e as inflamações causadas pela gota e outras doenças que atingem os ossos, articulações, tendões e bursas.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais sobre o meu trabalho como reumatologista em Manaus!

Comentários
Avatar

Posted by Dr. Antonio Luiz Boechat

3 comments

Muito bom obrigado pela dicas

muito obrigado pela informação

Muito bom seu artigo, parabéns.

Deixe uma resposta