doenças autoimunes

Como se proteger de doenças autoimunes?

Doenças autoimunes são enfermidades que ocorrem quando o sistema imunológico do indivíduo começa a atacar e até a destruir os tecidos saudáveis do proprio corpo. Os órgãos podem ser afetados simultaneamente ou em sequência, como também de modo isolado. Da mesma forma, os indícios da autoimunidade costumam variar bastante, o que dificulta o diagnóstico. A seguir, explicarei como se proteger dessas disfunções.

Alguns exemplos de doenças autoimunes

Até então, foram identificados mais de 100 tipos distintos de doenças autoimunes. Entre as suas manifestações mais conhecidas, é possível citar:

  • Lúpus
  • Artrite reumatoide juvenil e artrite reumatoide
  • Diabetes melito tipo 1
  •  Síndrome de Guillain-Barré
  • Esclerose múltipla (origem autoimune ainda debatida)
  • Hepatite autoimune
  • Doença celíaca
  • Doença de Addison
  • Doença de Crohn
  • Tireoidite de Hashimoto.

Vale ressaltar que essa lista é apenas parcial e, sendo assim, não abrange todas as patologias autoimunes.

Recomendações para se prevenir desse tipo de enfermidade

Ainda que não haja uma resposta exata sobre os mecanismos que levam à disfunção das defesas do organismo, existem certas medidas que ajudam a proteger contra essas doenças. Essas ações são válidas especialmente para quem tem histórico de condições autoimunes na família. Alguns dos cuidados recomendados são:

  • Evitar exposição a raios UV: tanto pela luz solar quanto pelas lâmpadas fluorescentes, a maioria das pessoas está submetida à radiação solar todos os dias. Essa exposição aos raios ultravioleta pode agravar quadros de lúpus eritematoso sistêmico e síndrome de Sjögren (chamada também de síndrome sicca); Além disso, os raios-UV ainda predispões ao câncer de pele e catarata dos olhos.
  • Manter um peso adequado: a obesidade e sobrepeso levam a disfunções inflamatórias.
  • Reduzir o sal na dieta: segundo pesquisas, a ativação de linfócitos T auxiliares passa por desregulação na presença de sal, cloreto de sódio ou sal de cozinha.
  • Parar de fumar: o tabagismo está relacionado a uma série de distúrbios, entre os quais a artrite reumatoide é uma das mais severas. Além de incrementar a chance de desenvolver artrite reumatoide, os fumantes não respondem tão bem ao tratamento;
  • Repor os níveis de vitamina D: garantir que o índice de vitamina D do organismo esteja aceitável auxilia o sistema imunológico equilibrado.
  • Pratica regular de exercícios: exercícios regulares, sobretudo com condicionamento aeróbico, tem importante ação na regulação do sistema imune.
  • Dieta mediterranea: está demonstrado que uma dieta rica em frutas e vegetais frescos, azeites, peixes, castanhas e nozes, além de vinho tinto moderadamente, tem efeito protetor contra doenças autoimunes.

Sobretudo se você tem historia familiar de doenças autoimunes, sugerimos que implemente as mudanças acima no seu cotidiano. É importante ressaltar que não há cura para as doenças autoimunes, e por isso o objetivo é controlar os sintomas. Hoje os tratamentos disponíveis são muito eficientes para controle destas doenças. O tratamento deve ser acompanhado por uma equipe de profissionais de diversas áreas, conforme a necessidade do paciente;

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como reumatologista em Manaus.

Comentários
Avatar

Posted by Dr. Antonio Luiz Boechat

Deixe uma resposta